Modelo de cuidado interprofissional ao recém-nascido e sua família no óbito neonatal estudo de método misto

From Wikincat
Jump to navigation Jump to search




Título principal
Modelo de cuidado interprofissional ao recém-nascido e sua família no óbito neonatal [recurso eletrônico] : estudo de método misto / Rosiane da Rosa ; orientadora, Roberta Costa.
Data de publicação

Descrição física
126 p. : il.
Nota
Disponível somente em versão on-line.
Inclui gráficos.
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2022.
Inclui referências.
[Versão integral em pdf https://bu.ufsc.br/teses/PNFR1262-T.pdf]
Introdução: em todo mundo, 2,5 milhões de bebês morrem anualmente antes de completar o primeiro mês de vida. A morte no contexto hospitalar frequentemente não é vista como natural, principalmente quando acontece com um recém-nascido. Há uma necessidade de preparar os profissionais de saúde para lidar com o processo de morte e morrer, principalmente na Unidade Neonatal. Objetivo: construir um Modelo de Cuidado Interprofissional ao recém-nascido e sua família no óbito neonatal em Unidades Neonatais. Método: pesquisa de método misto realizada em duas Instituições públicas do Sul do Brasil. A coleta de dados quantitativos foi realizada com 66 profissionais de saúde, no período de julho a setembro de 2020, através do Instrumento Death Attitude Profile – Revised. Os dados foram analisados através de diferentes testes estatísticos. A etapa qualitativa foi com 13 profissionais, no período de março a maio de 2021, através de entrevista individual. A análise dos dados foi realizada com o auxílio do software Atlas.ti versão 9.0. Também foi realizada uma etapa de avaliação do Modelo de Cuidado, no período de abril a maio de 2022, com 14 profissionais. Os dados foram analisados através do índice de validade de conteúdo. Resultados: os dados quantitativos mostraram que os profissionais com mais idade, maior tempo de conclusão da graduação e tempo de experiência apresentam mais atitudes positivas frente á morte. Já na etapa qualitativa emergiram três categorias: estratégias facilitadoras de cuidado ao recém-nascido no processo de morte e morrer; o cuidado da família no processo de morte e morrer do recém-nascido; vivenciando o óbito neonatal como equipe de saúde. O modelo de cuidado foi construído destacando a importância do cuidado individualizado para o recém-nascido e família, além do preparo da equipe de saúde. O modelo de cuidado indica diferentes estratégias para o cuidado ao recém-nascido e sua família durante o processo de morte e morrer, como: cuidando do recém-nascido como ser único, facilitando o processo de cuidado ao recém-nascido e família, entregando lembranças do bebê para os pais, reconhecimento do bebê pela família no óbito, individualizando o cuidado com a família, acolhendo a família, buscando a rede de apoio da família, conversando sobre a morte com a equipe, capacitando a equipe sobre a morte e acolhendo a equipe. O modelo obteve uma taxa de concordância superior a 80% em todos os quesitos e os profissionais apontam que o modelo é adequado, de fácil aplicação, pode modificar a prática de cuidado, além de orientar para a realização de práticas humanizadas no contexto da morte. Considerações finais: o Modelo de Cuidado desenvolvido é uma ferramenta que orienta o trabalho da equipe interprofissional, sistematizando e fortalecendo o cuidado sob a ótica da complexidade, possibilitando um cuidado individualizado a cada recém-nascido e sua família durante o processo de morte e morrer.

Abstract Introduction: worldwide, 2.5 million babies die annually before completing the first month of life. Death in the hospital context is often not seen as natural, especially when it happens to a newborn. There is a need to prepare health professionals to deal with the process of death and dying, especially in the Neonatal Unit. Objective: to build a Model of Interprofessional Care for the newborn and his family in neonatal death in Neonatal Units. Method: mixed method research carried out in two public institutions in southern Brazil. The collection of quantitative data was carried out with 66 health professionals, from July to September 2020, through the Death Attitude Profile - Revised Instrument. Data were analyzed using different statistical tests. The qualitative stage was with 13 professionals, from March to May 2021, through individual interviews. Data analysis was performed using Atlas.ti version 9.0 software. An evaluation stage of the Care Model was also carried out, from April to May 2022, with 14 professionals. Data were analyzed using the content validity index. Results: Quantitative data showed that older professionals, longer graduation time and experience have more positive attitudes towards death. In the qualitative stage, three categories emerged: facilitating care strategies for newborns in the process of death and dying; the care of the family in the process of death and dying of the newborn; experiencing neonatal death as a health team. The care model was built highlighting the importance of individualized care for the newborn and family, in addition to the preparation of the health team. The care model indicates different strategies for the care of the newborn and his family during the process of death and dying, such as: taking care of the newborn as a unique being, facilitating the process of caring for the newborn and family, delivering memories from the baby to the parents, recognition of the baby by the family at death, individualizing care for the family, welcoming the family, seeking the family's support network, talking about death with the team, training the team about death and welcoming the team. The model obtained an agreement rate of more than 80% in all items and the professionals point out that the model is adequate, easy to apply, can modify the practice of care, in addition to providing guidance for carrying out humanized practices in the context of death. Final considerations: the Care Model developed is a tool that guides the work of the interprofessional team, systematizing and strengthening care from the perspective of complexity, enabling individualized care for each newborn and their family during the process of death and dying.





















Campo Ind1 Ind2 Dados
Líder 07004nam a2200313 a 4500
001 - Número de controle B000024
003 - Identificador do número de controle BR-FlWIK
005 - Data e hora da última transação 20221103145939.0
008 - Informações gerais 221101s2022    scbd   g m    000 0 por d















040 - Fonte da catalogação # # $aBR-FlWIK
$bpor
$cBR-FlWIK
$dBR-FlUSC
080 - Número na Classificação Decimal Universal (CDU) # # $a616-083
090 - Número de chamada local (etiqueta) # # $aCETD
$bUFSC
$cPNFR
$d1262
100 - Ponto de acesso principal - Nome pessoal 1 # $aRosa, Rosiane da
245 - Indicação de título 1 0 $aModelo de cuidado interprofissional ao recém-nascido e sua família no óbito neonatal
$h[recurso eletrônico] :
$bestudo de método misto /
$cRosiane da Rosa ; orientadora, Roberta Costa.
260 - Publicação, distribuição, etc. (Imprenta) # # $c2022.
300 - Descrição física # # $a126 p. :
$bil.
500 - Nota geral # # $aDisponível somente em versão on-line.
500 - Nota geral # # $aInclui gráficos.
502 - Nota de dissertação # # $aTese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2022.
504 - Nota de bibliografia, etc. # # $aInclui referências.
520 - Resumo, etc. 0 8 $aIntrodução: em todo mundo, 2,5 milhões de bebês morrem anualmente antes de completar o primeiro mês de vida. A morte no contexto hospitalar frequentemente não é vista como natural, principalmente quando acontece com um recém-nascido. Há uma necessidade de preparar os profissionais de saúde para lidar com o processo de morte e morrer, principalmente na Unidade Neonatal. Objetivo: construir um Modelo de Cuidado Interprofissional ao recém-nascido e sua família no óbito neonatal em Unidades Neonatais. Método: pesquisa de método misto realizada em duas Instituições públicas do Sul do Brasil. A coleta de dados quantitativos foi realizada com 66 profissionais de saúde, no período de julho a setembro de 2020, através do Instrumento Death Attitude Profile – Revised. Os dados foram analisados através de diferentes testes estatísticos. A etapa qualitativa foi com 13 profissionais, no período de março a maio de 2021, através de entrevista individual. A análise dos dados foi realizada com o auxílio do software Atlas.ti versão 9.0. Também foi realizada uma etapa de avaliação do Modelo de Cuidado, no período de abril a maio de 2022, com 14 profissionais. Os dados foram analisados através do índice de validade de conteúdo. Resultados: os dados quantitativos mostraram que os profissionais com mais idade, maior tempo de conclusão da graduação e tempo de experiência apresentam mais atitudes positivas frente á morte. Já na etapa qualitativa emergiram três categorias: estratégias facilitadoras de cuidado ao recém-nascido no processo de morte e morrer; o cuidado da família no processo de morte e morrer do recém-nascido; vivenciando o óbito neonatal como equipe de saúde. O modelo de cuidado foi construído destacando a importância do cuidado individualizado para o recém-nascido e família, além do preparo da equipe de saúde. O modelo de cuidado indica diferentes estratégias para o cuidado ao recém-nascido e sua família durante o processo de morte e morrer, como: cuidando do recém-nascido como ser único, facilitando o processo de cuidado ao recém-nascido e família, entregando lembranças do bebê para os pais, reconhecimento do bebê pela família no óbito, individualizando o cuidado com a família, acolhendo a família, buscando a rede de apoio da família, conversando sobre a morte com a equipe, capacitando a equipe sobre a morte e acolhendo a equipe. O modelo obteve uma taxa de concordância superior a 80% em todos os quesitos e os profissionais apontam que o modelo é adequado, de fácil aplicação, pode modificar a prática de cuidado, além de orientar para a realização de práticas humanizadas no contexto da morte. Considerações finais: o Modelo de Cuidado desenvolvido é uma ferramenta que orienta o trabalho da equipe interprofissional, sistematizando e fortalecendo o cuidado sob a ótica da complexidade, possibilitando um cuidado individualizado a cada recém-nascido e sua família durante o processo de morte e morrer.
520 - Resumo, etc. 0 8 $aAbstract Introduction: worldwide, 2.5 million babies die annually before completing the first month of life. Death in the hospital context is often not seen as natural, especially when it happens to a newborn. There is a need to prepare health professionals to deal with the process of death and dying, especially in the Neonatal Unit. Objective: to build a Model of Interprofessional Care for the newborn and his family in neonatal death in Neonatal Units. Method: mixed method research carried out in two public institutions in southern Brazil. The collection of quantitative data was carried out with 66 health professionals, from July to September 2020, through the Death Attitude Profile - Revised Instrument. Data were analyzed using different statistical tests. The qualitative stage was with 13 professionals, from March to May 2021, through individual interviews. Data analysis was performed using Atlas.ti version 9.0 software. An evaluation stage of the Care Model was also carried out, from April to May 2022, with 14 professionals. Data were analyzed using the content validity index. Results: Quantitative data showed that older professionals, longer graduation time and experience have more positive attitudes towards death. In the qualitative stage, three categories emerged: facilitating care strategies for newborns in the process of death and dying; the care of the family in the process of death and dying of the newborn; experiencing neonatal death as a health team. The care model was built highlighting the importance of individualized care for the newborn and family, in addition to the preparation of the health team. The care model indicates different strategies for the care of the newborn and his family during the process of death and dying, such as: taking care of the newborn as a unique being, facilitating the process of caring for the newborn and family, delivering memories from the baby to the parents, recognition of the baby by the family at death, individualizing care for the family, welcoming the family, seeking the family's support network, talking about death with the team, training the team about death and welcoming the team. The model obtained an agreement rate of more than 80% in all items and the professionals point out that the model is adequate, easy to apply, can modify the practice of care, in addition to providing guidance for carrying out humanized practices in the context of death. Final considerations: the Care Model developed is a tool that guides the work of the interprofessional team, systematizing and strengthening care from the perspective of complexity, enabling individualized care for each newborn and their family during the process of death and dying.
650 - Ponto de acesso secundário de assunto - Termo tópico 0 4 $aEnfermagem
650 - Ponto de acesso secundário de assunto - Termo tópico 0 4 $aNeonatal
650 - Ponto de acesso secundário de assunto - Termo tópico 0 4 $aAssistência ao paciente
650 - Ponto de acesso secundário de assunto - Termo tópico 0 4 $aModelos de assistência à saúde
700 - Ponto de acesso secundário - Nome pessoal 1 # $aCosta, Roberta,
$eorientadora
710 - Ponto de acesso secundário - Entidade coletiva 2 # $aUniversidade Federal de Santa Catarina.
$bPrograma de Pós-Graduação em Enfermagem
856 - Localização e acesso eletrônicos # # $zVersão integral em pdf
$uhttps://bu.ufsc.br/teses/PNFR1262-T.pdf